terça-feira, 28 de dezembro de 2010

2011 Ano Internacional das Florestas

Nesse ano de 2010 foi comemorado o Ano Internacional da Biodiversidade, encontros, palestras, cursos, conferências, planos de governo, enfim, diretrizes de conservação e preservação  foram metas traçadas por diversos países a fim de se conseguir a conscientização da população, das empresas e dos políticos para o uso sustentável da biodiversidade.
O saldo dessa mobilização não foi tão alto quanto se esperava. A Conferência de Copenhague- COP15, apesar das críticas severas por conta da não existência de um acordo justo que as ONGs negociavam em relação ao aumento da temperatura global, trouxe algo muito positivo para sociedade que foi a elaboração de um projeto de discussão em torno das mudanças climáticas no qual não são envolvidos apenas organizações ambientalistas mas todas as parcelas da sociedade que podem e sentirão na pele os efeitos de tais mudanças, tribos indígenas, quilombolas, agricultores, grandes empresas, nações, você e eu estamos diretamente envolvidos e somos responsáveis por isso.
A divulgação de dados relacionados com a biodiversidade é extremamente importante para a conscientização e isso talvez tenha sido o ponto mais alto desse ano de 2010. Por exemplo, você sabia que 65% da biodiversidade dos rios está ameaçada pela ação humana e isso será e é refletido na extinção crônica de espécies e na escassez de água? Você não sabia, mas a UNESCO divulgou e eu divulguei aqui no blog também. É importante criar o hábito de ler notícias relacionadas ao meio ambiente porque assim a gente saí da ignorância e pode cobrar diretamente aqueles que nos representam na Assembléia ou no Congresso.
E, para terminar esse post o ano de 2011 foi escolhido para comemorar o Ano Internacional das Florestas e o primeiro post do ano que vêm será dedicado ao tema!
Super beijos e tchau tchau



segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Concurso Público

Olá queridos leitores final de ano é sempre aquela correria. Eu ando bem atarefada nos últimos dias e é por esse motivo a ausência de postagens aqui no blog.
Eu gostaria de divulgar aqui aos interessados que a prefeitura de Colombo -PR abrirá em Janeiro uma vaga para  cargo de Biólogo, é necessário ter o CRBio para se canditar a vaga, a remuneração não é nem de longe uma das melhores R$ 1.732,97  mas para quem tá precisando pode ser de grande ajuda. São 40 horas semanais e o site para inscrição é  da empresa Exatus
A classificação será feita através de uma prova específica e prova de títulos.
Fica a dica para essa semana,
bjos

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Projeto SciELO de Biodiversidade

Boa tarde caríssimos, tudo bem?
Como já mencionado anteriormente 2010 foi o ano escolhido pela UNESCO como Ano Internacional da Biodiversidade. Ao redor do planeta aconteceram e ainda estão acontecendo conferências, palestras, cursos, simpósios e etc, que visam a divulgação de material de apoio científico (ou não) à causa da Conservação e Proteção da Natureza. 
Existem algumas bibliotecas eletrônicas que organizam artigos relacionados a diferentes temas e de diferentes jornais. Na maioria das vezes o acesso a determinado artigo acaba sendo limitado apenas à visualização do resumo, porque 90% dos artigos científicos não são de acesso livre. Algumas plataformas disponibilizam artigos que podem ser baixados na forma .pdf inteiramente gratuitos, algumas delas: Acesso livre periódicos CapesPlosOneA Scientific Electronic Library Online Brazil(SciELO), sendo que essa última faz parte do projeto FAPESP/BIREME/CNPq que visa a ampliação de acesso a coleções de periódicos. Ontem (01 de dezembro) a SciELO lançou uma novidade que consiste numa rede de bibliotecas de diferentes instituições de ensino e pesquisa (nacionais) com o objetivo de fortalecer o desenvolvimento da cultura da Biodiversidade.
Sensacional, não acham? Se você ficou curioso clique no título dessa postagem que você será direcionado para a página da biodiversidade SciElo.
Acessem, baixem artigos, leiam, se informem e divulguem essa iniciativa que é tão maravilhosa!!!
Um beijo no coração e xauxau 



segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Libélulas, para que te quero?

Quando eu era criança (e isso já faz muito tempo) na cidadezinha onde eu morava (Faxinal, interior do Paraná) eu conhecia esse bichinho por outro nome: Lava-bunda, porque ele tem por hábito sobrevoar rios e lagoas tão rente à superfície da água que realmente parece que está se lavando. Eu as achava lindas, coloridas, delicadas e anos depois nas aulas de inglês no ensino médio "Dragonflies" fazia todo sentido, porque elas realmente pareciam dragões.
A libélula pertence a Ordem Odonata que por sua vez pertence a Classe Insecta que pertence ao Filo Arthropoda que pertence ao Reino Animalia. Parece confuso, mas é bem simples graças à classificação taxonômica mas isso é outra história. Os insetos da Ordem Odonata são hemimetábolos, ou seja, com metamorfose incompleta sendo as larvas aquáticas e a forma adulta terrestre que possui muita agilidade em executar vôos. Para oviposição esses insetos muitas vezes procuram bromélias utilizando a água que fica acumulada entre as folhas e, esse ambiente é apropriado para o desenvolvimento das larvas.
Muito se engana quem pensa que o papel desse animalzinho na natureza é pequeno. Para quem ouve voracidade e logo lembra de animais grandes, para vocês eu digo meus amigos, que a libélula tem um apetite voraz é uma exímia predadora chegando a consumir cerca de 15% do seu peso (em um único dia) apenas alimentando-se de outros invertebrados e por isso ela realiza um controle biológico invejável, tanto é verdade que parte da sua alimentação é feita com o conhecido mosquito transmissor da dengue, Aedes aegypti, por outro lado ela também fornece um nutritivo cardápio para pássaros, anfíbios e aracnideos.
As libélulas atuam como importantes bioindicadores da qualidade ambiental, por quê? Porque elas são capazes de perceber pequenas alterações no ambiente (que podem ser água ou ar), como mudança de pH, agentes químicos, quantidade de oxigênio dissolvido (ou ausência dele) impedindo a eclosão das larvas e no caso dos insetos adultos essas alterações funcionam como repelentes naturais.
E apesar do papel importante que esses animais tem no equilíbrio da natureza eles estão ameaçados de extinção.
As principais causas de extinção adivinhem???????
Acertou quem pensou em: fragmentação e redução do habitat natural. 
A degradação ambiental é o nosso grande problema. A conservação das espécies está diretamente associada a proteção dos ecossistemas e não há nada que evite extinções em massa sem que sejam feitos investimentos em pesquisas para conhecimento da ecologia das espécies. E o Brasil precisa muito mais muito investir em pesquisa e conservação.
Despeço-me de vocês desejando a todos uma ótima semana e vamo que vamo =)
Um beijo e xauxau ;)





domingo, 7 de novembro de 2010

Para refletir

Recebi esse vídeo por email e achei inspirador para uma tarde de domingo, contribuição da minha amiga bióloga Anne ;)


video

sábado, 6 de novembro de 2010

Semana Cultural UFPR 08 a 12 de Novembro

Bom dia caros leitores,
Antes de mais nada eu gostaria de divulgar a semana cultural do curso de biologia da Universidade Federal do Paraná "Assobio UFPR", entre as atrações terão mini cursos, oficinas, debates e palestras. Uma dessas palestras serei eu quem irá apresentar intitulada como "O modelo animal na pesquisa" farei um breve apanhado do uso de animais como modelo experimental.
Quem visita aqui o blog e quiser participar precisa fazer uma inscrição na página Assobio ou na secretária do curso de biologia no endereço: Av. Francisco H. dos Santos, UFPR, Setor de Ciências Biológicas, Centro Politnécnico, Bairro Jardim das Américas.
Segue o link para acesso direto a biologia da  UFPR .
Compareçam, aproveitem e troquem experiências.
bjos

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Para descontrair[3] Biólogo no Inferno!

Biólogo no Inferno




Um Biólogo desceu aos portões do inferno e foi admitido.

Mal havia chegado, já estava insatisfeito com o baixo nível de higiene, do ar e da água do inferno. Logo começou a fazer projetos ambientais e de saúde pública e várias ações para coibir aquele caos.

Pouco tempo depois já não havia no inferno o insuportável mau hálito nas pessoas.

Ninguém mais reclamava! Os banheiros foram arrumados e, por conseguinte, estavam mais limpos e cheirosos. Houve controle de pragas, o ar respirável com menos CO2 e água despoluída dos coliformes fecais.

O Biólogo tornou-se um cara muito popular por lá.

Um dia, Deus chamou o diabo ao telefone e perguntou ironicamente:

- E então, como estão as coisas aí embaixo?

E o diabo respondeu:

- Uma maravilha! Agora aqui todos se beijam, sorriem uns aos outros, não existe mais sujeira, as pessoas estão mais felizes com o ar que respiram, com a água onde nadam... Se alimentando melhor... Isso sem falar no que o nosso Biólogo está planejando para breve!

Do outro lado da linha, surpreso, Deus exclamou:

- O quê?!?! Vocês têm um Biólogo aí? Isso foi um engano! Biólogos nunca vão para o inferno. Mande-o subir aqui, imediatamente!

O diabo respondeu:

- Sem possibilidade! Eu gostei de ter um Biólogo e continuarei mantendo-o aqui.

Deus, já mais irritado, fala em tom de ameaça:

- Mande-o para cá, agora, ou tomarei as medidas legais necessárias.

Eis que o diabo soltou uma gargalhada:

- Hahaha!... Onde você vai arrumar um Advogado?

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Água, Planeta Água (Blog Action Day 2010)





Caríssimos leitores, como eu havia mencionado anteriormente, hoje milhares de blogueiros ao redor do mundo estarão reunidos virtualmente publicando em suas páginas pessoais todo o tipo de informação relacionado ao tema "água".
A molécula da água (H2O) é composta por um átomo de oxigênio e dois átomos de hidrogênio que formam uma estrutura dipolar e é graças a essa estrutura que as moléculas de água atraem e são capazes de dissolver mais substâncias que qualquer outro líquido que se tenha notícia, por isso a água é conhecida como solvente universal.
Vocês sabiam que 3/4 da superfície total da Terra são recobertos por água? Algo em torno de 1,5 bilhões de km3 de água em todo o planeta divididos em oceanos, rios, lagos, lençóis subterrâneos e geleiras.
Os riachos e rios possuem somente 0, 006% da água mundial, no entanto levando-se se em conta a água doce própria para consumo aí essa proporção ganha uma relevância significativa. Os oceanos constituem a principal fonte de água (97,3%) do nosso planeta.
Não é preciso dizer que a água é um recurso essencial para a sobrevivência e por isso políticas de sustentabilidade são super importantes. Mesmo sabendo que a água (doce) é um recurso natural esgotável o uso indiscriminado tem só aumentado nos últimos anos. Embora sejamos tentados a acreditar que somos uma espécie especial, do tipo superior, somos na verdade todos animais e, dispomos e utilizamos dos mesmos recursos para nossa sobrevivência. Contudo, os impactos causados sobre o meio ambiente a partir da nossa má utilização dos recursos podem ser cruciais para extinção de milhares de outras espécies.
Ao longo do século XX o consumo de água subiu de 1 trilhão para 4 trilhões de litros por dia e o desafio do século XXI é reduzir o desperdício através de uma ação global do consumo consciente. Mas como a gente poderia explicar um gasto de água tão exorbitante? Bem, a agricultura é responsável por 65% do gasto total de água, a indústria por 25% e o uso doméstico por 10%. Levando-se em conta que a população mundial cresce em função exponencial podemos imaginar que mais terras serão desmatadas para o plantio de mais alimentos e o consumo de água irá aumentar. E isso é um senhor problema, sabe por quê?
Segundo um levantamento feito pela ONU e divulgado na Conferência sobre a água realizada no início desse ano chegou-se a conclusão de que literalmente estamos em crise.
Estima-se que cerca de 250 milhões de pessoas distribuídas em 26 países, já enfrentam escassez crônica de água. O que gera uma preocupação bastante relevante em relação ao risco de uma escassez global de água.
O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) alertou que 1,8 milhões de crianças com menos de cinco anos morrem todo ano por doenças causadas pela água principalmente por não possuírem condições sanitárias adequadas, o que equivale à média de uma criança a cada 20 segundos.  O PNUMA ainda alertou que desde 1970 o número de espécies que vivem em águas de rios, lagos e lençóis subterrâneos foi reduzido pela metade.
A União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN) também divulgou que 1/5 das espécies africanas de peixes de água doce está ameaçado de extinção. Os fatores são diversificados em agricultura, barragens, extração de água, espécies invasoras e representam 21 % da causa de ameaças as populações. Porque os ambientes como o próprio nome diz são parte de um sistema, uma rede que está interconectada e cada nó que é desatado leva a um declínio do equilíbrio dinâmico que existe na natureza.
Um post é muito pouco para um assunto tão complexo, acho que seria interessante tratar do assunto em etapas para que haja um esclarecimento mais adequado a respeito da nossa responsabilidade em manter o planeta água com água para nós, para o meio ambiente e para as futuras gerações.
Críticas, sugestões e/ou perguntas?
Aberta a sessão fala que eu te explico =)
Só para constar essa imagem linda é lá do Marumbi ;)
Bjos a todos =*

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Blog Action day 2010


Está chegando a data em que milhares de pessoas ao redor mundo em um evento anual realizado a cada 15 de outubro, se unem na postagem sobre o mesmo assunto no mesmo dia, com o objetivo de provocar uma discussão global e condução da ação coletiva. Esse evento é conhecido como "Blog Action Day" e o tema escolhido para discussão esse ano é "água".
E por que água? Talvez você não saiba, mas 1 em cada 8 pessoas no nosso planeta vive em condições sanitárias inimagináveis sem possuir qualquer tipo de acesso à água potável para consumo. O tema água é muito mais abrangente que apenas uma questão social é uma questão ambiental também e, por isso peço que você leitor ajude a divulgar essa idéia.
Participe comigo no dia 15 de outubro promovendo, divulgando e dando sua opinião a respeito dessa questão.
Vamos juntos conscientizar o máximo de pessoas a cerca do consumo e da utilização desse bem natural.
abraços e até 15 de outubro!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Premio Top Blog 2010

Gostaria de comunicar à vocês que a lista dos 100 blogs classificados para o 2º turno já saiu e o Sublime Biologia está entre eles =D
Gostaria de agradecer aos leitores que votaram e dizer que fico muito honrada em fazer parte da blogsfera que representa o meio ambiente.
Peço àqueles que gostam do conteúdo aqui postado que continuem votando!
Vamos ver se a gente vai para próxima fase! 
Um beijão e muito obrigada de coração!

domingo, 26 de setembro de 2010

Mata Atlântica [3]

Desculpem minha ausência nesses últimos dias, estive lendo e relendo e analisando dados, mas enfim.... estudar é preciso!
Vocês devem saber que a floresta Atlântica é a segunda maior floresta tropical perdendo apenas para Amazônia, inclusive eu já devo ter escrito isso em algum post aqui no blog, o que talvez vocês não saibam porque eu também não sabia é que a Mata Atlântica é um dos maiores blocos continuos de floresta tropical da América do Sul, em ocorrência e importância.
E para entender melhor sobre o assunto, a gente precisa relembrar um pouco da deriva dos continentes. Pura e deliciosa biogeografia. Vamos lá ;)
O período Jurássico foi marcado pelo aumento significativo dos níveis do mar, as terras baixas foram encobertas pela água dos oceanos e isso resultou na divisão da Pangéia em dois continentes, Laurásia e Gondwana (como mostra a animação ao lado). O clima quente tornou-se mais úmido porque agora a umidade que vinha com as correntes de ar atingia regiões que antes não era possível e isso favoreceu a expansão das florestas. Há muito tempo atrás, cerca de 150 milhões de anos, quando houve a transição do período Jurássico para o Cretáceo a deriva continental começou a separar a América do Sul da África e originou o oceano Atlântico.
Graças as condições geoclimáticas que existiam há aproximdadamente 60 milhões de anos foi possível o estabelicimento e depois a expansão da floresta tropical onde atualmente está a nossa querida mas não tão exuberante (por causa da devastação) Mata Atlântica.
Em tamanho e diversidade biológica a Floresta Amazônica é maior que a Mata Atlântica, no entanto a sua formação é bem mais recente, pasmem: menos de 5 milhões de anos e é bem possível que a Floresta Atlântica tenha servido como uma das principais fontes de flora para a Amazônia (relevo, soerguimento dos Andes etc..
As formações florestais da Floresta Atlântica são basicamente divididas de acordo com critérios específicos como relevo, altitude, clima e assim por diante. Mas apesar da diversidade da composição florística grande parte dos solos que a compõem são de baixa fertilidade relativa, por outro lado esses mesmos solos conseguem mantêr uma floresta rica em diversidade e biomassa. Então como isso seria possível? Caríssimos essa é mágica da natureza que se dá através da decomposição da matéria orgânica. Os nutrientes ficam aderidos ou adsorvidos ao húmus (como os ecólogos gostam de dizer) e são rapidamente absorvidos pelas raízes. Ciclagem de nutrientes, eu acho que aprendi outro nome durante a faculdade que agora não consigo recordar mas enfim, essa "reciclagem" é um dos aspectos mais brilhantes e importantes na manutenção desse bioma.
Embora a natureza tente manter o equilíbrio a ocupação do homem interfere nesse ciclo ecológico e acaba formando as chamadas ilhas de isolamento que são um dos principais fatores para perda de diverdidade biológica e depressão endogâmica. Mas isso é outra história.








 



quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Para descontrair [2]

Contribuição de imagem pelo meu amigo amissíssimo Rodrigo Neher


Estou pobre de tirinhas quem quiser contribuir para o blog, por favor ;)

domingo, 12 de setembro de 2010

A Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade.

Bom dia leitores, o título desse post poderia nos render horas e horas de uma discussão holística e embora eu quisesse muito isso, seria inviável pois estamos nesse exato momento física e virtualmente separados.
Já parou para pensar por qual motivo deveríamos preservar ou conservar o meio ambiente? O seu motivo e o meu motivo devem ser muito parecidos, creio que ambos temos consciência ecológica, repúdio pela alienação do consumo e somos apaixonados pela vida selvagem (entenda-se "selvagem" como "silvestre ou não domesticado"). E o motivo dos outros? Se vocês têm observado a propaganda eleitoral, volta e meia os candidatos remetem-se ao termo desenvolvimento sustentável
Durante a universidade de tanto ouvir falar nesse termo eu decorei a definição: desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações.
Pois ao que me parece muitos desses candidatos não fazem idéia do que eles estão dizendo.
Dia 09 de setembro (quinta-feira passada) a ONU divulgou o relatório da TEEB “The Economics of Ecosystems and Biodiversity” (título do post). O lançamento ocorreu aqui em Curitiba, e simultaneamente, na Bélgica, na Índia, no Japão e na África do Sul.
Segundo o economista indiano Pavan Sukhdev o custo investido em favor da proteção de áreas naturais pode gerar muitos benefícios econômicos. O projeto foi dividido em fases. A primeira fase foi centralizada em ambientes florestais e de acordo com o estudo realizado verificou-se que as perdas associadas a esses ecossistemas equivalem a algo em torno de três trilhões de dólares. Nem sei quanto isso significa, mas eu imagino que seja muita grana.
Os benefícios que a natureza oferece são incalculáveis, pois suprem nossas necessidades básicas desde a alimentação, água, matérias primas, medicamentos etc. até as atividades de recreação e lazer. Muita gente busca na natureza realização espiritual.
Países em desenvolvimento como o Brasil concentram grande parte da sua economia em torno da agricultura e produção de alimentos, não to dizendo que a indústria não gere receita. Mas se a gente analisar com cuidado vai perceber que TODA NOSSA FONTE DE RENDA É ORIUNDA DA EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS.
Não seria sensato que as políticas públicas realmente tivessem planos reais e comprometidos com os serviços ambientais e com gestão de recursos naturais? Poxa, no Brasil somente 49,44% dos domicílios tem saneamento básico. Na região metropolitana de Curitiba somente 43,4% das casas tem acesso a rede de esgoto. Só para citar uma necessidade básica da população (dados da Fundação Getúlio Vargas), que tipo de gestão pública de desenvolvimento sustentável nossos governantes tanto falam?
Um exemplo de investimento que trouxe benefícios diretos ocorreu no Vietnã, o governo investiu 1.1 milhões de dólares na proteção de 12.000 hectares de manguezais e economizou 7.3 milhões de dólares na manutenção de diques. Isso para mim é desenvolvimento sustentável, substituir usinas termoelétricas e hidrelétricas por energia eólica e solar para mim é ter um plano de economia sustentável.
Combater o aquecimento global diminuindo o desmatamento é ser sustentável, porque milhares de famílias dependem dos recursos florestais para sua subsistência.
Economizar água em quanto a gente lava as mãos, escova os dentes, reutilizar águas para lavagem de calçadas, do carro, apagar a luz ao sair de um ambiente, trocar as lâmpadas incadescentes, usar o transporte público, andar de bicicleta etc. Tudo isso é valido, mas não pense que são gestos altruístas que estamos fazendo, essa é nossa obrigação. Além de economizar dinheiro na maioria das vezes essas atitudes contribuem para manutenção da nossa qualidade de vida. 
Mas quem vai administrar nossos recursos naturais são aquelas pessoas que a gente vai eleger. Quem vai determinar a área de proteção do entorno das nascentes ou vai fazer um projeto de lei para mudar o código florestal são os nossos representantes no governo. E isso com o perdão da palavra é FODA.
Bom caro leitor eleitor pense com bastante cuidado ao ir às urnas esse ano. Investir em políticas públicas de desenvolvimento também é da sua responsabilidade.
Um beijão e até  ;)

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Ô bicho lindo =)

O título original era para ser "nós (ainda) temos a suçuarana" mas eu achei muito dramático. Mas enfim, caríssimos leitores, tudo bem?
Vocês sabiam que a patologia foi minha segunda opção? Pois é, a primeira opção tinha sido mastozoologia, mas não consegui um orientador que trabalhasse aqui em Curitiba com conservação e grandes mamíferos. Aí aos poucos a ecologia foi se afastando, dando lugar a ambientes mais inóspitos como o estresse oxidativo e às doenças degenerativas. Às vezes isso me deixa bastante melancólica. 
Mas eu vim aqui para escrever sobre a suçuarana e não para reclamar.
O nome de batismo da nossa "onça-parda" é Puma concolor (Linnaeus, 1771). Tem ampla distribuição nas Américas da região oeste do Canadá até a Patagônia. No Brasil ocorre em todos os estados. O fato dela estar distribuída em todos os estados não a torna menos vulnerável a extinção. 
A suçuarana  é o segundo maior felino do Brasil, perde só para onça-pintada (Panthera onca, por sinal belíssima). Uma vez o professor Maurício Savi disse que o urro de uma onça-pintada é um alerta, porque ela realmente é um animal que impõe respeito mesmo, ele dizia que quando você ouve esse "brado retumbante" você tem duas alternativas: correr ou correr mais que a pessoa que esteja do seu lado. O problema da onça-parda é que você não tem muita alternativa no quesito correr, porque diferente da pintada a parda não avisa, porque ela não urra. Na verdade ela até atrai, porque o som que ela produz é semelhante aquele que a gente ouve do gato doméstico. Contudo, fica a dica, na floresta não tem gato doméstico.
A sua pelagem  pode variar do amarelo claro ao avermelhado, possui uma pequena cabeça quando comparada ao resto do corpo e tem um focinho rosado e os olhos bem claros.A "suçu" delimita grandes territórios para sua alimentação e reprodução, que são marcados através arranhões no solo, nas árvores, marcações com xixi e através de sinais sonoros. Apesar de ter um rosto muito dócil, tem um padrão social solitário, embora os machos costumam ter um harém de fêmeas (típico). É um felino de hábito preferencialmente noturno. Contudo durante o dia possui uma vida relativamente ativa. 
Exímio predador, alimenta-se de roedores, pequenos mamíferos, cervos, ovelhas e até veados. 
O período de gestação pode variar entre 82 e 96 dias. Os filhotes permanecem com a mãe por cerca de 1 ano e meio. 
Com certeza a principal ameaça à onça parda é a redução do habitat. A caça também representa um problema. Para que haja uma preservação da espécie é necessário que os ecossistemas também sejam preservados e aqui senhores existe um problema sério no nosso país. Cada dia a diminuição do habitat condena mais e mais espécies.





Ficha técnica:
Habitat: florestas, cerrado, pantanal e a caatinga;
Hábito: Noturno;
Longevidade: até 20 anos em cativeiro;
Tamanho: 1,70 a 2,20 m;
Peso: 40 a 70 kg (depende se for macho ou fêmea);
Categoria de Ameaça: Vulnerável
Causas de extinção: caça e redução de habitat.



Esse video eu peguei no youtube mas o site original com outros videos incríveis é esse aqui untamed amazonia, espero que vocês assistam e gostem.
um abração  ;)

sábado, 4 de setembro de 2010

Predadores em desequilíbrio RRAAARRR

Esses dias assisti um documentário (Discovery Channel) sobre os predadores da natureza. Esteticamente muito bonito, cheio de glamour mas com pouco conteúdo didático.
Para gente entender um pouco como funcionam as relações ecológicas a gente precisa definir alguns conceitos básicos mas de extrema importância.
As interações competitivas que ocorrem no ambiente nem sempre são diretas, normalmente são até bem sutis e elas podem ser mediadas ou limitadas de acordo com a disponibilidade de um dado recurso. No caso da Predação essa é uma interação ecológica evidente. Muitas pessoas conseguem visualizar essa relação quando pensam em grandes animais da savana, um exemplo clássico seria: um leão caçando uma zebra. Mas se você analisar mais cuidadosamente existem exemplos menos "orgásticos" (RRAAARR). Vejam o exemplo de Hopkinsia rosacea, é uma espécie de Nudibranchia (subordem de Opisthobranchia) um pequeno gastrópode marinho que possui as brânquias descobertas, daí o nome. As espécies que pertencem a essa subordem são coloridas, delicadas e apresentam um apetite voraz, são carnívoros como a maioria dos predadores, e levam a sério a "lei da selvageria" podendo hora estar atuando com o predadores ou hora servindo de presas para outros animais.
Mas é fato, existe um equilíbrio dinâmico nos ecossitemas que é dado por atributos bem específicos (taxa de mortalidade, natalidade, emigração, imigração e densidade populacional)  e a predação, muito embora pareça algo dramático, é na verdade um eficaz controle de animais e plantas, sendo um fator limitante do crescimento das populações.
Você conhece a Lycosa erythrognatha? Pois é, quem mora em grandes centros urbanos talvez não conheça essa espécie de tarântula, ela é uma aranha comum de jardim, uma predadora natural. Algumas pessoas podem ter aversão, outras podem ter medo e existem aquelas pessoas que possuem grande admiração por aracnídeos. Independente de qual tipo de pessoa você seja, durante o verão você provavelmente deve detestar moscas e mosquitos que infernizam e colonizam as nossas casas durante a estação mais quente do ano, esse problema é causado entre outras coisas pela diminuição de Lycosa nos nossos quintais, pois essa aranha desempenha um papel importante no controle de insetos e outros artrópodes, ela não faz teias e não costuma habitar interiores de casa então não precisa ter medo ou matar caso você encontre uma no seu caminho, porque ela não é venenosa e usa folhas secas para construir seus ninhos. O problema é: as pessoas passaram a ocupar todos os espacinhos de terra e não deixaram espaço para o quintal e as aranhas de jardim foram naturalmente desaparecendo, ficando apenas as indesejáveis aranhas-marrom.
Apesar de possuir imagens belíssimas de predadores em ação, às vezes os documentários deixam meio à desejar quanto ao contexto ecológico. O controle biológico é essencial para a biodiversidade, pois se uma espécie cresce descontroladamente causa um desequilíbrio produzindo um efeito dominó, e toda vez que o habitat é modificado pela ação do homem esse efeito é maximizado. Como não poderia deixar de falar a mudança climática pode ser um dos principais motores de extinção global de espécies, pois ela afeta desde os níveis tróficos mais basais até o topo da cadeia onde estão os grandes predadores. Para a preservação da biodiversidade é insuficiente considerar apenas a dinâmicas de espécies individuais e por esse motivo é tão importante conhecer as relações ecológicas, por mais ultrapassado que isso possa parecer a natureza é uma rede interligada e cada ponto tem um papel fundamental para o equilíbrio global do sistema.
Só relembrando que esse ano é o Ano Internacional da Biodiversidade e nas universidades estão rolando ciclos de palestras com muita informação de qualidade, desligue e a TV e vai assistir a um simpósio.
=)
bjos e xauxau
Parabéns para minha amiga Thayse Toth (bióloga) que teve seu filhinho ontem no dia do biólogo as 9h da manhã! O pequeno rebento escolheu um dia especial, com muito sol e cheio de energia positivas para nascer! E como a gente sempre espera deixar um mundo bom para as crianças, eu acho que os pais devem deixar crianças boas pro mundo, bem-vindo Caue.

Biólogo não come, degusta.
Biólogo não cheira, olfata.
Biólogo não toca, tateia.
Biólogo não respira, quebra carboidratos.
Biólogo não tem depressão, tem disfunção no hipotálamo.
Biólogo não admira a natureza, analisa o ecossistema.
Biólogo não elogia, descreve processos.
Biólogo não tem reflexos, tem mensagem neurotransmitida involuntária.
Biólogo não facilita discussões, catalisa substratos.
Biólogo não transa, copula.
Biólogo não admite algo sem resposta, diz que é hereditário.
Biólogo não fala, coordena vibrações nas cordas vocais.
Biólogo não pensa, faz sinapses.
Biólogo não toma susto, recebe resposta galvânica incoerente.
Biólogo não chora, produz secreções lacrimais.
Biólogo não espera retorno de chamadas, espera feed backs.
Biólogo não se apaixona, sofre reações químicas.
Biólogo não perde energia, gasta ATP.
Biólogo não divide, faz meioses.
Biólogo não faz mudanças, processa evoluções.
Biólogo não falece, tem morte histológica.
Biólogo não se desprende do espírito, transforma sua energia.
Biólogo não deixa filhos, apresenta sucesso reprodutivo.
Biólogo não deixa herança, deixa pool gênico.
Biólogo não tem inventário, tem hereditário.
Biólogo não deixa herdeiros ricos, pois seu valor é por peso vivo.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Parabéns Biólogos

No dia 03 de setembro em 1979, foi implementada a Lei 6.684 que regulamentou a profissão de Biólogo. Uma conquista muito importante para toda a HUMANIDADE, porque nós Biólogos fazemos a diferença no mundo! Olha só quanta gente que faz do mundo um lugar melhor.

Jean Louis Rodolphe Agassiz, (1807-1873), zoólogo suiço. David Attenborough, (1926-), biólogo e antropólogo inglês.
Joseph Banks, (1743-1820), botânico. Anton de Bary, (1831-1888), cirurgião, botânico, microbiólogo. Patrick Bateson, biólogo. Gaspard Bauhin, biólogo. Charles William Beebe, (1877-1962), biólogo. Günter Blobel, alemão, biólogo e Prémio Nobel

Stephen L. Buchmann. Rachel Carson, (1907-1964), bióloga, autora do livro Silent Spring . Min Chueh Chang, biólogo. Jacques Cousteau, biólogo marinho e explorador francês. Leon Croizat, (1894-1982), biólogo italiano (botânico), fundador da panbiogeografia. Charles Robert Darwin , (1809-1882),naturalista britânico. Cleveland P. Hickman, biólogo, autor do livro Princípios Integrados de Zoologia.

Sylvia Earle, bióloga.

Paul Ehrlich, (1854-1915), alemão, entomologista, Prémio Nobel.

Johann Friedrich von Eschscholtz, alemão, biólogo e explorador.

R. A. Fisher, (1890-1962), inglês, biólogo e estatístico, um dos fundadores da Genética populacional.

E.B. Ford (1901-1988) inglês, geneticista.

Dian Fossey, (1932-1985), zoólogo.

Elias Magnus Fries, (1794-1878), um dos fundadores da moderna taxonomia dos cogumelos.

Rosalind Franklin, (1920-1958), físico-química e cristalógrafa, contribuidora para o entendimento da estrutura do carvão e do grafite, para pesquisa da estrutura do ADN, e vírus.

Johann Wolfgang von Goethe, (1749-1832), (part-time)

Jane Goodall, (1934- ), zoólogo norte americano

Stephen Jay Gould, (1941-2002), paleontólogo norte americano

Susan Greenfield,(1950-), química, bióloga e neurocientista britânica.

Pavel Groselj, (1883-1940), biólogo e beletrista.

Gregor Johann Mendel ,(1822-1884) ,botânico.

Ernst Haeckel (1834-1919), naturalista

J. B. S. Haldane (1892-1964), biólogo

William Donald Hamilton (1936-2000), inglês, biólogo.

Willi Hennig (1913-1976), alemão, biólogo, fundador da cladística.

Robert Hooke (1635-1703), inglês.

Sarah Blaffer Hrdy, biólogo.

Thomas Henry Huxley (1825-1895), inglês, cientista.

Libbie Hyman (1888-1969), zoólogo.

James Watson biólogo - Descobridor da dupla hélice.

Silvia Daniéle Rodrigues (1982- XX) Bióloga





quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A crise do Krill

Caríssimos,vocês sabem o que é um Krill?
Muita gente não sabe, mas o Krill é um tipo de zooplâncton muito importante para o equilíbrio da cadeia alimentar marítima, porque ele está lá na base, no início, e se a base não está bem o resto também não estará. Para ajudar o raciocínio imaginem um amontoado de pecinhas LEGO® e com elas você vai construir uma torre alta, muito alta mesmo, se a base da sua torre não for larga o suficiente, conforme ela for atingindo níveis de altura a tendência será ela desequilibrar e a cada pecinha adicionada haverá uma forte chance dela se desmontar.
Bem na natureza não é muito diferente disso. Especialistas alertam que o rápido crescimento da pesca somado às alterações ambientais podem em breve colocar em perigo o Krill antártico (Euphausia superba),  e com isso colocar em risco diversas espécies de peixes e mamíferos daquele mar. Porque a alterção da população desses animais causa uma alteração na cadeia trófica daquela região. Mas aí alguém pode pensar, tá mais por quê esse bichinho é tão importante?
O Krill na verdade não é um animal e sim um conjunto de invertebrados crustáceos parecidos com o camarão.  São uma rica e poderosa fonte proteica e talvez por isso seja o prato preferido para as baleias. São animais bioluminescentes (que lindo, lindo mesmo). Esses pequenos invertebrados vivem em grupos atingindo densidades de 10 000 a 30 000 indivíduos por metro cúbico, formando bancos de biomassa. Durante a noite os bancos de Krill parecem enormes manchas luminosas (por causa da bioluminescência) na superfície do mar e acabam atraindo aves oceânicas.
Aqui tem uma imagem de Euphausia superba.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Já pensou ter um nome literalmente científico?

Não é qualquer pessoa que tem o privilégio de ver seu nome imortalizado na nomenclatura científica. Aliás, existe uma distinção no código de nomenclatura zoológica e botânica, e uma é independente da outra. Eu não vou entrar em detalhes em relação ao código de botânica porque dele eu sei muito pouco. Mas antes de apresentar as "Silvias no meio ambiente" rapidamente eu vou escrever sobre O código de nomenclatura zoológica (aqui caberia a 5ª Sinfonia de Beethoven)!
Para que serveria um código de nomes afinal? Nem sempre o óbvio é tão óbvio. E a criação de um código universal facilitou muito a vida dos cientistas, pois garantiu que não houvesse mais a presença de nomes ambíguos ou confusos. E, como eu disse nem sempre o óbvio é óbvio desde os tempos de Aristóteles (lembram? filósofo grego que viveu de 384 a.C. – 322 a.C.) vinha se tentando contruir um código universal de nomenclatura digno, com nome e sobrenome. Mas foi só no século XVIII que foi possível organizar um sistema binomial eficaz e esse sistema foi proposto por Linnaeus.
Nem tudo são flores  e vários problemas foram surgindo ao longo dos anos, como nomes incorretos, nomes que não correspodiam a características específicas e/ou que não correspondiam à pátria verdadeira da espécie. E, isso fez com que o sistema binomial de Linnaeus sofresse modificações. Atualmente o órgão que o mantém e regulamenta é a Comissão Internacional de Nomenclatura Zoológica.
Enfim, vamos as Silvias:
De um modo geral, podemos dizer que toda Silvia é um bichinho bonito, delicado e muito inteligente.
Em 2005, pesquisadores lá da PUC-RS em colaboração com a Universidade Católica de Goiás (UCG) e a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB/RS) identificaram uma nova espécie de cobra coral (VERDADEIRA) pertencente ao gênero Micrurus e, vejam que mimo batizaram a espécie de Micrurus silviae Di-Bernardo, em homenagem a esposa do pesquisador Silvia Di-Bernardo que também era herpetóloga (já falecida). Nesse caso o nome "Silvia" mudou para "silviae", que é uma recomendação que se faz para homenagens a mulheres. Gênero feminino termina em "ae" e masculino em "i".
Não encontrei nenhuma imagem dessa serpente então eu coloquei essa da Micrurus carallinus
Foto de Otávio Marques
Vou colocar uma listinha das silvias que eu encontrei:
Belgrandia silviae, molusco aquático pequenininho da família Hydrobiidae.
Mitra silviae, molusco da família Mitridae.

Glyptothorax silviae, é um peixe com barbilhão (que belezura) da família Sisoridae.


E as minhas favoritas que são as Silvias passeriformes, que mágico existe um gênero chamado de Sylvia  da família Sylviidae, que conta com 24 espécies uma mais linda que a outra, diminutas e charmosissimas!

Sylvia buryi; Sylvia lugens; Sylvia boehmi; Felosa-chapim-de-layard, Sylvia layardi; Felosa-chapim-dos-bosques, Sylvia subcaeruleum; Toutinegra-de-barrete-preto, Sylvia atricapilla; Felosa-das-figueiras, Sylvia borin; Papa-amoras-comum, Sylvia communis; Papa-amoras-cinzento, Sylvia curruca; Sylvia minula; Sylvia althaea; Toutinegra-do-sara, Sylvia nana; Toutinegra-gavião, Sylvia nisoria; Toutinegra-real, Sylvia hortensis; Toutinegra-do-mar-vermelho, Sylvia leucomelaena; Toutinegra-de-ruppell, Sylvia rueppelli; Toutinegra-de-cabeça-preta ou toutinegra-dos-valados, Sylvia melanocephala; Toutinegra-do-chipre - Sylvia melanothorax; Toutinegra-carrasqueira ou toutinegra-de-bigodes, Sylvia cantillans; Toutinegra-de-menetries, Sylvia mystacea; Toutinegra-tomilheira, Sylvia conspicillata; Toutinegra-do-atlas, Sylvia deserticola; Felosa-do-mato ou toutinegra-do-mato, Sylvia undata; Toutinegra-sarda, Sylvia sarda.




Sylvia nisoria Imagem do site hi is


Sylvia leucomelaena, imagens de Lior Kislev





Sylvia curruca (a minha favorita)



Bom essas são as minhas Silvias (quer dizer, as espécies que coincidentemente levam meu nome), mas possivelmente você tbém pode dar o seu nome a uma espécie é só prestar atenção nos animais a sua volta, você pode encontrar algum bicho ou planta que ainda não foi descrita, Serindipindade... lembram?

bjus e até =)

domingo, 22 de agosto de 2010

O meio ambiente animado

Boa Tarde meninos e meninas que visitam o blog Sublime Biologia, tudo bem? Estou preparando um post sobre as "Silvias" no meio ambiente e, enquanto esse post não fica pronto, resolvi colocar umas animações bem legais.
E os créditos são:
1º Estúdios Pixar: Day & Night
2º Till Novak- Delivery
3º Louis Clichy- A quoi ça sert l'amour

video

video

video

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Que tal: uma salamandra com endossimbiose!

Sabe quando você tá parado no sol e alguém diz à você: Tá fazendo fotossíntese?
Bom naturalmente você deve rir porque animais vertebrados (e você é um deles) não fazem fotossíntese! Ou será que fazem?
O pesquisador Ryan Kerney da Universidade Dalhousie, em Halifax, Nova Scotia, no Canadá estudando salamandras observou que a coloração típica de Ambystoma maculatum presente desde a fase embrionária na verdade está literalmente DENTRO dos embriões, acontece o mesmo com cápsula gelatinosa que os reveste.
Como isso é possível? Esse é o caso de uma relação simbiótica entre a salamandra e uma alga unicelular Oophila amblystomatis. Calma deixa eu explicar a descoberta não é essa, VICTOR H. HUTCHISON  e CARL S. HAMMEN em 1958 publicaram a utilização de oxigênio na relação simbionte entre essa alga e a salamandra manchada, no entanto eles pensavam que a relação ocorria entre o embrião da salamandra e as algas que vivem fora dela. Contudo, as observações de Kerney mudam todo contexto da relação simbionte apresentada ateriormente por Hutchinson e Hammen, o que Kerney propõe através de evidências intracelulares é que as algas estão, geralmente, localizadas no interior das células em todo o corpo manchado das salamandras.
 Alguém pode dizer que isso não é fabuloso porque esse fenômeno de co-existência ocorre com até certa frequência em invertebrados, mas o que realmente quebra um paradigma é o fato disso ocorrer em vertebrados. O que é sim extraordinário, uma vez que o sistema imune de vertebrados reconhece como estranho tudo aquilo que não for próprio do organismo, nesse caso o sistema imune pode ter apresentado uma falha no reconhecimento o que permitiu o estabelecimento dessa relação.
A foto abaixo é da salamandra solar e a notícia completa você encontra em Nature News.

John Cancalosi/naturepl.com

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O acaso na ciência

Einstein disse certa vez que "Deus não joga dados com o Universo" ou seja o acaso não existe. Minha irmã é jornalista e eu sou biológa, logo, somos uma salada de informações úteis e inúteis e, divagar sobre a vida e os acontecimentos acaba tornando-se uma de nossas maiores diversões e, esse final de semana refletimos sobre o acaso/destino. Por exemplo digamos que eu descubra acidentalmente a cura para a doença renal crônica (DRC), trabalhar com DRC só foi possível porque eu estudei a Patofisiologia do rim e, isso só aconteceu porque eu fiz Patologia na pós graduação, que aconteceu porque eu fiz iniciação científica durante a graduação, que aconteceu porque eu conheci a minha orientadora, que eu conheci porque fazia estágio voluntário num laboratório de terapia celular, e fiz estágio lá porque um dia estava passando no corredor e notei um anúncio de seleção para estágio. O que seria isso acaso ou destino?
Para algumas pessoas essa seria a prova da força do acaso ou do destino, para nós (minha irmã e eu) seria apenas serendipidade. Essa palavra é um neologismo de uma expressão que vêm do inglês "serendipity" que refere-se à coincidências ou descobertas aparentementes feitas ao acaso. 
O cientista francês Louis Pasteur, famosissimo por sinal, conhecido como pai da microbiologia costumava dizer que "O acaso só favorece a mente preparada". Essa na minha humildade opinião é a melhor definição para a expressão serendipidade. E o melhor exemplo disso vêm mesmo da ciência:
Lei da gravitação universal: certo dia estava o Sir. Isaac Newton descansando embaixo de uma frondosa macieira quando de repente uma daquelas frutas caí-lhe sobre a cabeça e num golpe do destino o Sir Isaac saí de seu estado contemplativo da natureza e pensa: por que ao invés da maçã flutuar, ela caiu?
Senhores, não sei se a história acima é verdadeira, mas é fato Isaac Newton era físico, matemático (lembram do binômio de newton?), astrônomo, alquimista, teólogo (lembram da Rosa Cruz?) e filósofo. Estudou e lecionou em Cambridge, foi um dos precursores do Iluminismo e dedicou a vida a procura do esclarecimento científico. Se a história da maçã fosse mesmo real mas tivesse caído sobre a minha cabeça, por exemplo, eu teria soltado um palavrão, limparia a maçã e a comeria, porque eu não tenho conhecimentos profundos em física. Contudo, sobre a cabeça de Newton a queda da maçã foi o estopim para a criação de uma lei que explica um dos fenômenos mais importantes do universo.
Heparina: Em 1916, um estudante de medicina, Jay McLean, que investigava substâncias tromboplásticas diferentes da cefalina, encontrada no cérebro, encontrou em um extrato de tecido hepático, uma substância capaz de retardar a coagulação do plasma.
Descoberta do planeta Urano: Frederick William Herschel, estudava cometas com um telescópio (no fim do século XVIII)  quando percebeu um novo objeto que a princípio julgou ser uma estrela ou um cometa. Mas observando com mais cuidado e com a ajuda de um amigo e astrônomo Anders Johan Lexell concluiu que o objeto percorria uma órbita planetária além de Saturno. Galileu Galilei anterioramente também havia percebido a "estrela" que o Herschel  anos mais tarde chamaria de Urano mas acreditou, óbvio, que a estrela não havia mudado de posição e sim que havia errado em seus cálculos.
Mas a história mais curiosa seria a de que o pai de Alexander Fleming, um jardineiro, teria salvo do afogamento um menino chamado Winston Churchill, filho de um Lord Inglês membro da Câmara Alta do parlamento inglês. Grato, o pai de Winston quis recompensar seu empregado, que se surpreendeu com o pedido do mesmo: pediu que desse ao menino, Alexander, a mesma educação que fosse dada ao seu próprio filho. Anos mais tarde, Alexander Fleming, tornou-se bacteriologista do St. Mary's Hospital, de Londres, e já há algum tempo vinha pesquisando substâncias capazes de matar ou impedir o crescimento de bactérias em feridas infectadas. Em setembro de 1928 Fleming esqueceu algumas placas com culturas de estafilococos sobre a mesa e saiu de férias, quando voltou observou que algumas das placas estavam contaminadas com fungo e notou um halo transparente em torno do mofo contaminante,que impedia o crecimento de bactérias, tratava-se de um fungo do gênero Penicillium e daí penicilina. Durante a Segunda Guerra Mundial Winston  Churchil ficou muito doente e foi submetido ao tratamento com penicilina. Churchill havia sido salvo da morte pela segunda vez e por um membro da mesma família Fleming.
O próprio Alexander Fleming negou a versão do salvamento heróico, mas a história da descoberta da penicilina é mesmo verdadeira.
Enfim, Camila e eu não fomos muitos longe de onde estávamos e, como era de se imaginar concluímos que a ciência não é composta por acasos e sim, por mentes que preparadas enxergam no cotidiano grandes oportunidades.
Um beijo e até ;)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

o Blog do lab

Hoje estava indo à biblioteca devolver alguns livros quando encontrei no corredor a minha orientadora. Vocês devem saber que os orientadores possuem um GPS para encontrar os seus alunos nas horas mais oportunas. Ela me perguntou que livros eu estava lendo, eu disse a ela que eram livros de ecologia que eu frequentemente lia para ajudar a escrever posts interessantes no blog (que é esse aqui no qual você está). Não sei porque cargas d' água eu tentei justificar a leitura que nada tinha a ver com a pesquisa do laboratório, aí ela riu e disse: Silvinha por quê você não faz um blog sobre o nosso laboratório?
Hã? como assim um blog sobre o nosso laboratório?
Daí ela soltou a frase derradeira: Já que vc estuda para escrever no blog de ecologia que você não tem muito contato, poderia começar a publicar coisas que você e o pessoal do laboratório estudam diariamente!
Fiquei meio na dúvida se foi uma indireta para eu estudar mais ou se foi uma sugestão mesmo para criação de um blog. É difícil entender a complexidade dos pensamentos dos Professores Pós Doutores que afetuosamente chamamos de CHEFES.
Ela então disse que havia um pesquisador do grupo INCT-REDOXOMA, do qual ela faz parte, que mantinha um blog assim como o meu e, que os alunos dele ajudam a manter o blog ativo e o nome desse pesquisador é Marcelo Hermes Lima.
Assim que eu cheguei em casa, procurei no site do INCT o professor Marcelo e o blog dele, para minha feliz surpresa, eu descobri que ele é blogueiro mesmo, blogueiro de verdade e inclusive alguns já devem até ter visitado a página Ciência Brasil.
Bom eu vou conversar com os meus caros colegas e perguntar se eles topam produzir um blog voltado para o estudo de processos redox e de neurociências. Se eles aceitarem em breve estarei divulgando o endereço aqui no blog.
Se alguém quiser sugerir um tema para o próximo post, pode enviar para o meu email silvynnha@hotmail.com, é muito legal quando vocês participam, faz com que eu sinta que não estou escrevendo para o hiperespaço!
Na verdade eu queria entrevistar o biólogo Louri Klemann Jr. mas não sei se ele vai querer falar comigo, eu vou tentar uns contatos imediatos com pesquisadores da biologia da conservação, ok?
Bom final de semana a todos que visitam o blog Sublime Biologia, muito obrigada mesmo ;)
bjo bjo bjo



segunda-feira, 2 de agosto de 2010

só para rir

Hoje fez frio o dia todo em Curitiba, para variar, e enquanto o sol não volta a brilhar por aqui: